segunda-feira, 23 de junho de 2014

Iscar com Marisco com Casca

 23 de junho de 2014
Muitos pescadores iscaram seus anzóis com um marisco inteiro com casca e tudo. Com esse procedimento têm pescado Borriquetes ,de bom tamanho, entre quatro e oito quilos, como foi o caso de vários pescadores no Valo Grande da Plataforma de Cidreira, semana passada.
Aconselha-se a usar anzóis os mais finos possiveis para evitar a ruptura da casca ,o que impede o  ataque de peixes miudos.Depois de cuidadosamente iscado passe  elastricot para firmar mais o marisco no anzol.Como é uma isca  delicada faça pequenos lançamentos ,de preferencia bem perto das colunas

quarta-feira, 12 de março de 2014

Dicas para pescar Pescadas e Enchovas na Plataforma de Pesca de Cidreira

http://2.bp.blogspot.com/-uZ43KQTR0T8/TnNPiE_RGfI/AAAAAAAAGBk/bJlPx78twVc/s1600/Anchovas+vivas.jpg

As Pescadas sempre vem atrás dos Reis nadando abaixo do cardume .Obviamente a isca ideal para você pescá-las são os pedaços de filé de Reis, mostrando sempre as partes brilhantes que devem ser a meia agua ,para isso você deve usar os anzóis bem distantes das chumbadas.


Marcelo Oliveira

Cidade: Gravataí

ola boa noite ..sobre a pesca de pescadas pelo pouco que sei , mas se que funciona ,uso chicote com 2 anzóis e pernadas de 1 a 1,5 m com uma boia de lambari em cada pernada a uns 20cm do anzol, costumo usar camarão descascado ou file de sardinha cortado em pirâmides com pingos de anilina vermelha , ela pega muito bem por ser um peixe carnívoro.. material > anzol tipo maruseigo 16 ... chicotes > linha 0,50mm ... pernadas > fluorcarbon 0,47mm

abraço a todos e ótima pescaria


Dario Bersagui

Cidade: Porto Alegre

Em primeiro lugar quero mandar um abraço ao amigo Sérgio (Caxias) adoentado. Que melhore logo.

Em segundo lugar vou apadrinhar o futuro pescador que diz querer saber pescar PESCADA. Sem falsa modéstia, não sei tudo, mas de tudo sei um pouco: Pescada pesca-se bem do banheiro pra cima. o anzol pode ser de papa-terra ou um pouco maior (não muito) o chicote deve ter de três a cinco anzóis, e a chumbada de 125 a 150g sem garatéia, a distancia do ultimo anzol para a chumbada deve ser de no mínimo um metro, pois a pescada trabalha de meia-água até a superfície, como a Enchova. podem ser pescadas com camarão branco descascado e ou com pedaços de sardinha. arremessar não muito longe dos pilares, 50mts mais ou menos. OK? abraços Dario

 

 Rafael

 Cidade: Porto Alegre

 Semanas atrás falei que quando não possuía isca viva ,eu amarrava próximos aos anzóis algum pedaço de pano,cordão ,ou qualquer coisa que pudesse imitar um peixe se debatendo, pois as Pescadas não distinguem e atacam . Esta semana recebi um e-mail do pescador Joarez,de Canoas, que conta que estava na Plataforma de Cidreira e viu um pescador colocar um pano vermelho nos anzóis ,tendo como resultado a pesca de muitas Enchovas.Segundo Joarez ,o pescador lhe disse  que antes usava carne vermelha , para a Enchova,mas que esta desbotava .Quando viu minha sugestão mudou com sucesso.

 Na semana passada ,com referencia a predadores de Peixes-Rei , lembrei das Pescadas.

E ,na sexta-feira e sábado passados foram fisgadas muitas Pescadas .Elas saíram entre o Lava-Peixes e o T Estavam tão famintas que muitas foram pescadas inesperadamente ,quando os pescadores estavam tentando Papa-Terras e Corvinas.

Não foi o caso do Pescador Jatir Gabardo que pescou nove na sexta-feira e nove no sábado . Algumas com mais de 600 gramas .

Segundo ele,precisam ocorrer alguns fatores para a pesca destes saborosos peixes .Um os fatores é a água limpa e o outro é de que a temperatura da água do mar deva ser superior a 19 graus .

São peixes vorazes que nem as Enchovas. As Pescadas atacam também o cardume de Peixes-Rei , e para isso ficam a meia água para atacá-los por baixo ,quando os mesmos estão na superfície a cata de algas e outros alimentos.

Portanto a sua pesca deve ser feita com anzóis a meia água ,o que se consegue calculando a profundidade do local .Isso se poderá fazer lançando um linha com chumbada até o fundo do mar no local. Depois medir e colocar os anzóis na metade da distancia entre a chumbada e a superfície. Pode-se pescar também regulando a altura com o uso de Bóias (para isso a chumbada deve ser evidentemente um pouco mais leve até o ponto de não afundar).

Existe um outro modo de pescar :Usa-se um chumbo leve de até 50 gramas ligado a uma braçolada dupla bem comprida ,esta pesca tem que ser com movimento ,ou seja lança-se o mais longe possível e puxa-se de tal maneira que a linha venha sempre em cima da água.Até você acertar na "Toca do Coelho"

Se for necessário usar empates de aço. O uso de empates é quase obrigatório para as Pescadas em geral, já que a maioria das espécies tem dentes afiados.


Material: médio/pesado carretilha ou o molinete deve comportar 100 m de linha de 0,35 mm de diâmetro.


O Jatir pescou com Sardinha ,mas disse que ao limpá-las encontrou em seu estômago grande quantidade de Camarões Sete Barbas. O ideal para esse peixe é o uso de iscas vivas como camarões e peixinhos .Pode se usar um Peixinho-Rei iscado pelo lombo. Quando não possuía isca viva ,eu amarrava próximos aos anzóis algum pedaço de pano,cordão ,ou qualquer coisa que pudesse imitar um peixe se debatendo, pois as Pescadas não distinguem e atacam.




sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A Pesca amadora no Mar

 A Pesca amadora no Mar



 A pesca amadora é uma das atividades de lazer mais praticada em todo o mundo, envolvendo uma série de serviços relacionados ao setor turístico.
        O Brasil, apesar de possuir uma enorme rede hidrográfica e mais de 8 mil km de costa, aliada a uma grande diversidade de peixes e áreas relativamente preservadas para atrair o pescador amador, ainda não explora adequadamente toda essa potencialidade.
A atividade de pesca amadora no Brasil tem apresentado um crescimento vertiginoso nos últimos anos. O que era uma atividade de lazer transformou-se em uma indústria cada vez mais forte, que movimenta anualmente milhões de dólares em segmentos tão diversos como a importação e a exportação, a aqüicultura, o turismo e a mídia especializada.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013



 Peixes-Rei na Plataforma de Pesca Cideira



Os Peixes-Rei são uma espécie muito interessante, tanto no aspecto físico quanto no comportamental. Com a parte de cima da cabeça literalmente transparente, causa estranheza aos pescadores desavisados. Costuma atacar as iscas com voracidade, sem se importar se o pedaço de carne de peixe que está no anzol é de um companheiro pescado anteriormente. Essa característica dos Peixes-Rei, aliada ao fato de nadarem geralmente em cardume, garante pescarias muito produtivas e divertidas.



Outra característica peculiar dos Peixes-Rei está ligada diretamente à pesca dos mesmos: por se tratarem de  peixes consideravelmente frágeis, no sentido de resistência à ação da pesca – mas não pouco valentes ou fracos quando fisgados, pois, ao contrário, possuem uma força incrível – dificilmente os exemplares sobreviverão caso sejam liberados após a captura. Portanto, como a reprodução é eficiente, mais vale se divertir na pescaria e posteriormente degustar a carne dos Peixes-Rei – que é muito saborosa, por sinal – do que simplesmente perder o peixe e todo o potencial culinário que representa.

Como isca para pescar os Peixes-Rei é ideal usar pedacinhos de peixe  envolto em farinha. Isso porque os Peixes-Rei são  tipo de peixes canibais, são predadores. Os Peixes-Rei quando atacam as iscas  puxam-na para cima, portanto quando estiver pescando você precisa fazer o caminho inverso daquele que os peixes fazem, você deve puxar para baixo para cansá-los. Como os Peixes-Rei são muito frágeis. Se você segurá-los contra a luz verá que  ficam transparentes. Não adianta jogá-los de volta na água, porque é certeza que  morrerão. Se você pescar Peixes-Rei, leve-os para casa para o consumo.

Os cardumes se concentram em volta da isca, fica muito fácil de pescar, eles se juntam e abocanham a isca. Ele é um peixe normalmente menor, mas também é possível pescar grandes.É indicado que você faça um chicotinho,ou comprar um rabicho especial para pescá-los que podem ser adquirido nos bares da Plataforma de Cidreira.Conforme o dia pode se usar anzóis sem iscas,pois apenas o brilho basta para atrai-los

São peixes que nadam de maneira extremamente veloz Esses peixes possuem uma coloração azulada muito clara o que  os faz um bocado transparente especialmente na região do abdome, revestido por escamas de espessura muito fina. Suas nadadeiras posicionadas no peitoral são muito longas e eficientes, o que faz deles  peixes muito ágeis e rápidos. Eles possuem também curiosas nadadeiras anais, com espinhos.Alimentam-se de pequenos moluscos e plânctons que habitam o fundo


Hoje os Peixes-Rei estão entre as espécies mais pescadas na Plataforma de Cidreira.Mas nem sempre foi assim. Nos primeiros tempos eles não encostavam. Através de um trabalho de persistência da tripulação da Plataforma,conseguiu-se atraí-los para a beira do píer. Em1986 foi implantado um programa
de atratores. Por sugestão do empresário Fausto Borba Prates, inicialmente cravou-se várias estacas de eucalipto no mar com a intenção de atrair mexilhões, ajudando aos que já estavam se fixando nos primeiros pilares. Esta experiência logo foi abandonada,pois as estacas de eucalipto não resistiam à erosão e à força contínua das correntes marítimas. Iniciou-se, então, um projeto de ilhas para a fixação de microrganismos, alimentos preferidos dos Peixes-Rei. Seguiu-se depois um trabalho de ceva, colocando-se num saco permeável tatuíras, mariscos e maçambiques moídos, que era lançado ao mar, amarrado por uma corda.Posteriormente foi fechado um contrato com uma indústria pesqueira de Rio Grande para a compra de farinha de camarão. Recebíamos    mensalmente caminhões do produto e o colocávamos em porções diárias no processo de ceva. Aos poucos os Peixes-Rei foram se aquerenciando, até o ponto de chegarem ao píer cardumes imensos.Este trabalho foi feito até constatarmos que a memória dos Peixes-Rei os trazia regula regularmente ao nosso píer, tornando possível a sua pesca.

 Pesca de Peixes-Rei na Plataforma de Pesca Cidreira

terça-feira, 26 de novembro de 2013

 Pesca de Papa-Terras

Reproduzimos um artigo maravilhoso de cerca de 10 anos atras,escrito por
José Carlos Magalhães Reis  que faleceu 17 de julho de 2012 sobre Papa-terras
Reis pescou muito na Plataforma de Cidreira ,tendo criado na época a Equipe de Pesca Os mentirosos

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Aos Pescadores Iniciantes:


-Um utensílio que deve sempre acompanhar os Novos na Pescaria chama-se PACIENCIA

-Os pescadores que não têm paciência sofrem muito numa pescaria. Eles estão sempre apressados e ansiosos.

-A pressa e a ansiedade causam riscos perigosos para a vida das pessoas.

-Os pescadores inteligentes logo aprendem que esperar faz parte da pescaria.


Os Siris são ótimos nadadores .Os Caranguejos são mais caminhadores ,fazem tocas e se preciso até em arvores sobem.

Perguntem a suas Crianças;

-Qual a diferença entre as patas de um Siri e as de um Caranguejo?

Amar,Coçar E Pescar É Só Começar

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Corrupto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nota: Se procura pelo termo que define indivíduo que age desonestamente com o patrimônio público, consulte Corrupção.

Como ler uma caixa taxonómicaCorrupto
Corrupto.gif
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Subfilo: Crustacea
Classe: Malacostraca
Ordem: Decapoda
Infraordem: Thalassinidea
Família: Callianassidae
Género: Callichirus
Stimpson, 1866
Espécie: Major
Nome binomial
Callichirus major
Corrupto (Callichirus major, Stimpson, 1866) é um crustáceo decápode cavador, que pertence a família Callianassidae, apresenta indivíduos maiores atingindo aproximadamente 20 centímetros de comprimento, tendo o abdome com coloração amarelada. Possuem garras em forma de pinças sendo uma delas bem maior que a outra. Deve-se tomar cuidado com os espécimes de maior tamanho, já que sua garra pode causar pequenos ferimentos. São apelidados de Corruptos, pois são muitos, não "aparecem" e são difíceis de capturar.
Vivem em praias rasas de areia fina, próximos à linha d'água, em profundas tocas verticais escavadas na areia. Quanto maior o buraco, maior o animal que nele habita. Alimentam-se de matéria orgânica em decomposição e de pequenos animais. Geralmente seus buracos ficam expostos apenas durante durante a maré baixa, -0,2m ou mais. Portanto, de acordo com a tábua das marés, verifique o dia mais adequado, num horário em que a água esteja em seu ponto mínimo. Nos buracos cobertos pela água, o Corrupto estará mais próximo à superfície.
Sua captura é possível com a ajuda de uma bomba de sucção feita de canos de PVC e uma borracha de vedação interna. Para capturá-lo posicione a bomba perpendicularmente ao chão e bombeie rápida e vigorosamente, dedique seu esforço aos buracos que apresentarem alguma atividade, como um pequeno jorro de água e areia, ou de matéria fecal com aparência de chocolate granulado. Caso o animal não surja, tente a segunda vez, sempre prestando atenção à água no buraco. Ele pode estar bem próximo à superfície após as bombadas. No caso de insucesso, em vez de tentar a terceira, tente outro buraco.
O Corrupto é uma excelente isca para peixes marinhos, vêm sendo há mais de vinte anos capturados e utilizados por pescadores amadores ao longo das praias oceânicas do litoral brasileiro, desde a costa nordeste até a costa sul. A estrutura do Corrupto é extremamente delicada, devendo ser amarrado ao anzol com elastricot, sem apertar demais. Pode-se isca-los inteiros ou em pedaços, esticados ou dobrados formando uma "bolota". Neste último caso, dobre-o, corte metade da cauda e da cabeça, passando o anzol através destas, sem perfurar a parte central do corpo. Uma maneira de utiliza-los inteiros é prender num anzol Wide Gap 1/0, entrando pela "nuca", passando pelo interior do corpo e saindo numa placa do meio do rabo, de modo a deixar as patas expostas. Este é um excelente método para peixes de boca grande como o Robalo.
A pesca destes organismos cavadores pode ocasionar alterações, tanto na espécie alvo, como em outras espécies existentes no sedimento, devido à própria técnica de captura utilizada. Na África do Sul, a cada 50 corruptos coletados com bomba de sucção, 50 g de organismos da macroinfauna acabam morrendo ou sendo predados por aves e outros organismos, em conseqüência da perturbação (WYNBERG & BRANCH 1991). Por outro lado, um esforço de pesca excessivo pode levar à sobre-exploração do recurso e até ao total desaparecimento das populações alvo. A estrutura populacional de Callichirus major pode ter sido afetada pela pesca no litoral do Estado de São Paulo, onde foi registrada uma diminuição na moda média do tamanho dos indivíduos da população ao longo de 6 anos de estudo. Este resultado pode ser conseqüência de um aumento na intensidade dos recrutamentos, devido à maior disponibilidade de substrato resultante da remoção de indivíduos maiores (RODRIGUES & SHIMIZU 1997).